quarta-feira, novembro 29, 2006
quando a desilusão bate a porta...
Há um tempo atrás uma amiga resolveu consultar uma vidente. Percebi depois de um tempo que nós mulheres consultamos videntes para ver se há uma luz em nossa vida emocional. Até queremos saber sobre trabalho, saúde, dinheiro, mas o motivo principal que nos faz desembolsar dinheiros para ter uma idéia do futuro é saber se ele nos reserva de fato uma cara-metade.

A consulta da minha amiga foi diferente. Falou-se vários assuntos e sobre o coração mesmo a resposta foi que ela arrumaria um namorado em janeiro. Depois de conversar com algumas pessoas que também tinham ido na tal vidente, que parece ter acertado algumas previsões com uma precisão única, eu me animei em ir, afinal lá estava eu com o coração levemente dilacerado por um furacão que entrou na minha vida e também por ter colocado um ponto final na minha história transatlântica.

Ela começou a falar sobre meu passado e algumas coisas bateram em cheio. E claro, eu balançava minha perna de ansiedade para saber se o homem da minha vida viria ainda nesta existência ou eu teria que esperar até a próxima. E nada dele aparecer nas cartas. Eis que no meio de um assunto qualquer surge uma figura que bateu com a descrição do furacão, mas não tem batido muito com o que aconteceu depois. De acordo com ela, teríamos uma história cheia de altos e baixos e ele me procuraria ainda naquela semana. Ele respondeu um email que eu havia enviado, foi simpático no dia seguinte e em seguida me colocou na geladeira, onde permaneço até este momento.

Como neste meio tempo surgiu outra figura, eu até resolvi transferir as previsões que eu remeti ao anterior a este, mas nada batia, inclusive a descrição. Pois bem, teria que arrumar um terceiro e num espaço curto de tempo. Ele surgiu: moreno, alto, cabelos desalinhados, interessante, gostoso e com todos os itens para ser o homem da minha vida, mas além de ter sido daquelas histórias incríveis, foi rápida demais para ter qualquer continuação, até porque não há um motivo sequer para que ela continue e ele também estava fora da descrição.

Ela também disse que o homem da minha vida surgirá no meio do ano que vem. Já anotei num caderninho com todo o carinho para me apegar a ele em momentos de desalentos. Falou até que ele é bonito, fez questão de frisar que é brasileiro, tem 1,80 mais ou menos e cabelo castanho claro. Se você está lendo meu blog e está dentro dessa descrição, pode ser que você seja o homem da minha vida, então me escreva e assim podemos antecipar em sete meses a minha felicidade emocional.

Quando a consulta chegava ao fim eu a olhei decepcionada e perguntei o porquê do país neutro não ter aparecido nas cartas, afinal ele esteve na minha vida por alguns meses, teve relevância e eu tive muitos planos com ele. Acabou, mas enfim, fazia apenas uma semana. A resposta é que faltou paixão na história.

Fui embora animada porque eu precisava acreditar um pouquinho que alguém iria me ligar na semana seguinte, mas não foi bem assim. Em um mês várias amigas estiveram na tal vidente, outras já marcaram consulta e todas sem exceção foram [ou vão] buscar um calmante para o coração, até porque coincidentemente todas estão solteiras.

De qualquer forma posso dizer que tal consulta valeu mais do que uma sessão de terapia, pois eu estava precisando acalentar um pouco os meus sonhos. Como disse Allain de Botton em "Ensaios de amor", o amor é ainda uma das maiores preocupações do ser humano [pelo menos das mulheres].

"O amor é uma coisa fluida, misteriosa, a qual você tenta impor ordem e ela explode na sua cara. Mesmo assim sempre vale a pena continuar tentando." E aí uma vidente pode à sua maneira incentivar nossas tentativas.

Postado por Desiree às 7:49 PM | 6 comments



sexta-feira, novembro 17, 2006
orgasmo global
Você quer colaborar com a melhora da energia do planeta? Então não pode ficar fora dessa. Vai rolar no dia 22 de dezembro [solstício do inverno] o Orgasmo Global, que tem por objetivo reunir tanta energia positiva capaz de acabar com as guerras. Meio Lennon "faça amor, não faça guerra" e eu assino embaixo que isso funciona. Não sei se essa onde energética toda possa contribuir tão profundamente assim no mundo, mas que se as pessoas fizessem mais sexo, menos tempo elas teriam para fazer guerra, ah, isso sim!

E não basta fazer sexo na data marcada, tem que pensar na paz mundial, enviar bons fluídos, acreditar no ato! Isso me trouxe à memória o "jump day" [e teve mais alguém que pensou a mesma coisa]. Nem sei no que que deu e se tiveram pessoas suficientes pulando para colocar o planeta no eixo, mas gosto desses coletivismos universais, de imaginar que o mundo todo está fazendo a mesma coisa que eu naquele momento.

Gostei mesmo do que li num blog que explicava logo de cara que tal movimento não era uma grande orgia para conseguir um lugar no guiness. Mas como todos somos seres conscientes e ansiamos pela paz mundial, não custa anotar na agenda e dar uma forcinha, hein?

Postado por Desiree às 11:38 PM | 11 comments



como ter o seu pretê
Quando iniciei este blog o título saiu baseado na famosa série da HBO Sex And The City, mas o No na frente era porque a fase era de seca. Vivo em uma cidade grande cercada de pessoas interessantes, mas não conseguia fazer sexo com alguém. Assim, chulamente falando.

Enquanto minha amiga faz sexo com um passante pela segunda vez esta semana, eu vi que no fundo eu quero um pouco mais. Eu e minhas amigas que andam reclamando do mesmo motivo. O papo um dia desses era que como pode ser tão difícil arrumar um trepê em uma cidade como São Paulo e conhecendo gente como a gente conhece.

Você conhece um cara legal, ele não está afim de namorar e falta alguma coisa para você deseja-lo além da cama. Rola uma química, bom papo, mas ninguém quer se comprometer. Até rolam uns beijos e aí você sente que ele é um potencial trepê. O que parece acontecer é que os homens não acreditam muito que as mulheres querem apenas isso ou se querem apenas isso, bah, elas não servem! Não servem para quê? Para serem trepês?

À minha mente a única explicação é que o homem acha que se queremos vê-lo novamente é porque temos sérias intenções com ele, mas às vezes essa modernidade toda tanto nos afetou, que apenas queremos um rala e rola e nem isso conseguimos.

É fácil sair, catar alguém e levar para casa, mas a questão não é essa. Trepê é outra coisa e parece bem mais legal [eu não sei porque não tenho um]. É alguém que você conhece, tem certa intimidade e quando não estão fazendo nada, resolvem fazer algo bom juntos, até vão ao cinema, dão risadas, bebem juntos e falam sobre seus flertes [olha o despreendimento]. Aí se engatam um relacionamento com alguém, ficam só na amizade, se o namoro acaba, já tem até onde se consolar, afinal a gente sempre tem aquele amigo que rola um tesão, mas sabemos que não passa disso. Eu conheço algumas histórias assim.

Discutindo o assunto com um amigo do sexo masculino e hetero, ele disse que os homens tem medo de que a mulher vire uma louca ou que se apaixone ou que sei lá, fuja do controle deles. Riscos tem, sempre tem e em tudo, afinal somos humanos e não muito simples. Aí a opção que ele dá é que tudo seja negociado... pois bem, vou ali na papelaria comprar carbono, redigir meu contrato, assina-lo em três vias, reconhecer firma e enviar para algum amigo em potencial, porque esse a gente tem sempre.

Postado por Desiree às 10:12 PM | 1 comments



quarta-feira, novembro 15, 2006
os homens que somem
O bate-papo desta semana foi sobre os homens que somem. Como para mim homens são seres práticos, eles devem sumir por um motivo bem plausível, mas geralmente não temos acesso a tal tipo de informação.

Na mesa em que discutíamos, os sumiços eram todos inexplicáveis (minto, há um que o sumido já avisa antecipadamente), afinal eles não voltam para explicar coisa alguma. Claro que isso confirma a teoria que se o homem está afim, ele está presente: ele liga, ele vem te ver, ele manda email, ele se faz presente. Agora como se explica o homem que some, mas antes de tal abracadabra acontecer, ele parecia até estar aos seus pés. Liga várias vezes ao dia, inclusive antes de dormir para te dar boa-noite, te convida algumas vezes para sair e não o deixa você esquece-lo um minuto, já que está presente o tempo inteiro de alguma forma.

Vocês saem, vocês são diferentes, mas tem um mundo em comum, vocês ficam e não é a primeira vez e na última vez que compartilham momentos juntos, ele te liga, manda torpedo a convida novamente para sair.

No outro caso, você gasta horas com ele no msn. Dias seguidos e horas a fio trocando mensagens, confidências, provocações. Não haverá surpresa ao vivo, afinal já se conhecem. Nada de convites, até que muito tempo após tais investidas ele resolve convida-la para um jantar e no dia seguinte você acorda com um sms dizendo que ele acordou pensando em você.

A outra já tinha estabelecido uma relação oficial. Saíam bastante, dormiam um na casa do outro, passavam os finais de semana juntos e eventualmente até viajavam juntos. Você se considera uma pessoa comprometida e faz tudo como manda o figurino. Aparentemente está tudo indo muito bem.

O que acaba acontecendo por fim é que o primeiro simplesmente não te liga mais. E não liga do nada. Não aparece online e quando fala com você, é de poucas palavras e toda aquela afinidade que pareceu rolar nas horas e horas de conversas, some. Se esbarram por aí, mas apenas um oi, tudo bem.

O segundo não tomou nenhuma atitude, não houve sequer uma tentativa de um beijo. Continua tentando florescer a relação virtual, que é a única coisa que parece que ele quer no momento. Não há mais convites, mesmo depois da confissão de dizer que pensa em você.

O último caso é o mais hilário, pois o sumiço é avisado com antecedência e é o mais tragicômico dos demais casos:

- Vamos ficar 2 semanas sem nos ver.

- Por que? Surgiu alguma turnê? - afinal o moço em questão tem uma banda

- Não. É que no próximo sábado eu vou casar.

- Ahn!? - e desmaia

Ele, atônito, olha e não entende a reação da mulher a sua frente. E tudo foi muito simples, afinal ele tinha banda e a namorada (a oficial) dava aulas em academias. Em seis meses, a "enganada" nunca desconfiou de nada e apenas achava que a família dele não gostava mesmo dela.

- Ah, mas não fica assim. Quando eu voltar da lua-de-mel, a gente volta a se ver como antes. Só não entendo o porquê desta sua reação.

Este ganhou o troféu cara de pau, mas e os outros dois? A pergunta que ficou no ar é: por que os homens somem, quando dão todos os indícios de que estão afim. A que teve o azar de cruzar o último ser da história apenas respondeu:

- Será que eles não vão se casar?

Postado por Desiree às 6:38 PM | 15 comments



quinta-feira, novembro 09, 2006
o passante
A conversa no final de semana entre mim e algumas amigas era há quanto tempo cada uma está sem sexo ou mesmo sem beijar na boca. Papo fútil, mas que sempre rende boas risadas. Coincidentemente todas envolvidas na conversa andavam numa fase celibatária danada. Por isso eu digo: ter um compromisso além-mar é algo que preciso repensar.

Aí no final de semana todas, sem exceção, se jogaram na noite com um anzol a tiracolo. Na segunda o balanço feito por msn:

- E aí, como foi o final de semana?

- Fiz sexo! – respondeu minha amiga – E você?

- Não fiz nada, mas dormi com alguém.

- Dormiu com alguém e não fez sexo?

- Sim, isso pode acontecer de vez em quando, ué! – respondi meio a contra gosto – E você, fez sexo com quem?

- Com um passante.

- Passante?

- É. Eu estava beijando uma menina e aí “passou” um cara. Ele parou e começou a beijar nós duas, mas a menina saiu fora e eu fui embora com ele.

- Prático.

- É, mas fiz sexo com um passante e você dormiu de conchinha.

- Vamos ver depois quem se deu melhor nessa!

E depois de uma entrevista muito feia dada a uma emissora de tv, eu cheguei a conclusão que sou careta demais. Alguém me manda para o século XIX, por favor? Eu preciso aprender umas coisinhas por lá.

Postado por Desiree às 11:59 AM | 6 comments



segunda-feira, novembro 06, 2006
você quer ser um super-herói?
Hoje fui abordada por um velho amigo pedindo ajuda sobre meus conhecimentos sobre a vida, sexo e relacionamentos humanos. Talvez eu saiba bem pouco sobre os três, especialmente quando leio questões como a que ele dividiu comigo e eu fiquei sem resposta.

Ele viu na Av. Sumaré um outdoor que dizia o seguinte:

"preservativo blowtex
agora com efeitos retardantes
mais prazer em seus relacionamentos"

E claro, a questão que veio à tona foi "o que é um efeito retardante neste caso". Ao questionar outro amigo, ele disse que acha que é uma camisinha baby look: dá um mata-leão no "sujeito" para ele não cuspir. Tecnicamente falando, um látex que toma a forma do pinto e se amolda apertando as veias certas. A preocupação foi se a tal invenção não irá causar caimbra. Será?

Geralmente os homens não são muito rápidos quando há um latex entre as peles, então este efeito retardante muito me preocupa. Uma vez em uma discussão tipicamente feminina, a questão era "e quando o danado não chega lá de jeito nenhum e você já arriou?". Uma jurou que era só abraça-lo e fazer figas que rolava. Testei uma vez, já que tenho algumas crenças, e não é que a simpatia funcionou? Mas foi só uma vez, por isso tenho um pouco de receio com o tal efeito "retardante".

Fui pesquisar no site da Blowtex para tentar descobrir alguma pista sobre isso. E bem, é o que eu desconfiava: ela ajuda a manter a ereção por mais tempo e o homem vira um super-herói. É, está lá:

"Quer transar longamente, como se nunca fosse acabar? Quer ser o máximo ou virar super herói? BLOWTEX® Prazer Prolongado é a sua camisinha.

Ela foi desenvolvida com um lubrificante especial que em contato com o pênis trás um efeito retardante e prolonga o tempo de ereção. Assim o casal vai aproveitar mais tempo junto antes de chegar ao clímax.

Na parte externa, que fica em contato com a vagina, o lubrificante é tradicional, para facilitar a penetração. Recomendado também para quem sofre de ejaculação precoce."


Confesso que ler este anúncio me causou um certo cansaço. Acho que não gosto tanto assim de super-heróis.

Postado por Desiree às 4:35 PM | 4 comments



sábado, novembro 04, 2006
pura "tara"
Adorei o nome desta festa: Tara. E a chamada ainda é "uma festa para os seus sentidos". Hmmm... quais sentidos? Tudo muito à flor da pele? Feriadão e eu aqui a toa, não custa ir conferir.

Postado por Desiree às 5:04 PM | 1 comments