quinta-feira, outubro 19, 2006
das bobagens femininas
Eu sofro uma perseguição virtual. Mulheres costumam ser vingativas e sinto que sou vítima de uma. Pelos recados ofensivos, eu imagino que tal pessoa com tanta mágoa no coração tenha se sentido lesada por mim de alguma forma. Seguindo ainda esta linha de raciocínio imagino que eu tenha ficado com alguém que essa pessoa goste.

Já cogitei da tal pessoa fazer parte do meu círculo de amizade, mas na última mensagem dela ficou claro que não. Tudo que ela sabe sobre mim foi conseguido pelos meus rastros virtuais. Tal perseguição já rola há um ano, o que faz eu concluir que causei um dano enorme a alguém e claro, curiosa em saber o que foi. O que eu lamento é não ter como reparar tal dano e nem contribuir à saúde mental do ser, quem me dera poder mandar um poderoso pacotinho de Valium ou pílulas da felicidade, quem sabe assim ela me abraçaria e diria "eu te amo e nem é porque estou louca".

A vingança é algo que me comove no ser humano, pois o quanto se corrói até se dar por satisfeito? Quantas vezes passamos por uma situação em que não reagimos e ficamos dias a fio nos martirizando por ter ficado de boca calada e as respostas mais geniais desfilam à nossa frente?

Isso me faz lembrar das vezes que eu [e várias amigas] queria alguém arrasador a tiracolo para me acompanhar em alguma festa apenas para que ele sentisse um ponta de inveja, quando muitas vezes eu imagino que ele tenha sentido alívio de ver que finalmente eu estava bem o suficiente para largar do pé dele. Há tempos atrás uma amiga me ligou perguntando se eu tinha algum amigo bonitão para acompanhá-la em uma festa porque alguém comentou que ela não era capaz de conquistar alguém. E para que provar? Mas vivemos querendo calar a boca das pessoas. Eu sugeri alguns amigos em comum, mas gays e o problema morava aí, pois a pessoa tinha dito justamente que ela só conseguia gay. Ela no desespero pensou em contratar um garoto de programa.

Babaquice? Insegurança? Claro, mas quem não sofre desses males de vez em quando? Quem já não passou por situação semelhante? De qualquer forma, Murphy na sua crueldade sempre nos castiga, se estamos lindas como nunca e com um apolo a tiracolo, provavelmente ele não aparecerá.

Eu acho curioso quando numa traição o homem é o vítima. A preocupação dele [caso descubra] geralmente é se houve sexo e se o sexo foi melhor do que o que ele oferece. Aquele lance de foi sexo por sexo funciona quando a mulher é quem foi traída. Claro que isso não gera conforto, mas nos preocupamos se houve um interesse emocional, se a outra é mais bonita, se ele quer encontrá-la novamente, etc. Pensamos também em como foi o rala e rola
, mas isso é o menos dos pesadelos.

Mesmo em meio a liberdade sexual [e nós mulheres mais bem resolvidas] ainda sofremos de males demasiados humanos. O homem vai continuar com o instinto de caça e gostar de ter a decisão nas mãos dele: eu me interesso, eu vou atrás [há exceções, mas na maioria o comportamento ainda é a moda antiga] e a mulher vai bancar a mulher maravilha, mostrando-se forte, independente e não estou nem aí para você, mas no fundo também vai continuar esperando que ele ligue, que ele a convide para sair e se surpreendendo se ele puxar a cadeira para que ela se sente no restaurante e especialmente se ele pagar a conta. Gostamos de paparicos, mas raramente admitimos.

Às vezes eu sinto que o mundo se perdeu. Alguém mande um Google Earth para ele se encontrar?

Postado por Desiree às 3:18 PM | 6 comments



sábado, outubro 07, 2006
na sala de espera
Tenho preguiça de viajar a trabalho e ontem meu bate-volta para o Rio não foi exceção. Para o meu azar houve houve uma derrapagem na pista de um vôo da Gol, que teve a pista interditada acarretando horas de atrasos nos vôos seguintes. Fiquei quase duas horas impacientemente esperando pela a minha vez de decolar.

Enquanto as pessoas sacavam seus laptops, ipacks e outros aparatos tecnológicos, eu muito humildemente saquei meu moleskini da bolsa, que era a única distração que eu teria enquanto tentava sobreviver com o meu iPod nano, que é o único aparelho mais moderninho que tenho.

Escrevi algumas páginas relatando às cenas à minha volta. Vamos às anotações:

Ontem fui jantar no Spot com um amigo. O assunto foi sobre espiritualidade. De acordo com a visão dele, o câncer é causado por arrependimentos. A minha questão foi "e por que há crianças que morrem de câncer?". Ele não soube responder e para não ficar chato, eu disse que poderiam ser arrependimentos trazidos de uma vida anterior.

Na minha está Lenine. Não gosto dele. Acho o som sacal, mas ele parece ser bem simpático, o que faz eu acreditar que seria mais interessante estar matando meu tempo batendo papo com ele do que escrevendo.

Sinto inveja desses laptops turbinados e conectados via wireless. Ok, eu tenho um moleskini lilás de uma edição especial Van Gogh e eles não tem.

No meu campo de visão não há um ser sequer que me desperte o interesse e o saguão está lotado. Há muitas mulheres bonitas e elegantes, mas elas não me interessam muito. Há uma loira na minha frente que eu estou tentando descobrir se ela é mulher ou travesti. Cirurgias plásticas muitas vezes transformam mulheres em algo que nem sempre é mulher. Tem também uma loira cinquentona que parece ter saído de Woodstock e ela está de mini-saia. As pernas são lindas.

A Nair Bello acabou de passar e logo atrás um ator global [cinquentão] que me trouxe umas fantasias à tona. Aeroporto sempre me causa isso. Estou chocada que ainda há mulheres que usam lápis branco nos olhos. Acho que não gosto de homens de pernas curtas.

Anotações noturnas no aeroporto Santos Dumont:

O dia foi entediante. Estou voltando no último vôo para São Paulo e a ponte-aérea continua atrasada. Tomei cerveja no centrão carioca e meu cabelo ficou impregnado de fumaça de churrasquinho grego. O chopp era ótimo, mas me deixou um pouco alta, o que me causou certa tensão sexual. Não consigo parar de olhar para os homens que entram no vôo. Aviões sempre deixa no ar a fantasia de uma transa rápida com um desconhecido no banheiro. Claro que ela nunca acontece.

Postado por Desiree às 9:33 PM | 7 comments



constatações tolas
Vinte minutos parada em frente a Shopping Market Place fez eu ter certeza que o brasileiro [especialmente a brasileira] se veste muito mal. Isso não tem a ver com poder aquisitivo e sim com falta de bom senso. Sorry!

***

Ficar mais de um mês sem sexo causa danos irreparáveis, especialmente para a pele.

Postado por Desiree às 9:24 PM | 3 comments