quarta-feira, novembro 29, 2006
quando a desilusão bate a porta...
Há um tempo atrás uma amiga resolveu consultar uma vidente. Percebi depois de um tempo que nós mulheres consultamos videntes para ver se há uma luz em nossa vida emocional. Até queremos saber sobre trabalho, saúde, dinheiro, mas o motivo principal que nos faz desembolsar dinheiros para ter uma idéia do futuro é saber se ele nos reserva de fato uma cara-metade.

A consulta da minha amiga foi diferente. Falou-se vários assuntos e sobre o coração mesmo a resposta foi que ela arrumaria um namorado em janeiro. Depois de conversar com algumas pessoas que também tinham ido na tal vidente, que parece ter acertado algumas previsões com uma precisão única, eu me animei em ir, afinal lá estava eu com o coração levemente dilacerado por um furacão que entrou na minha vida e também por ter colocado um ponto final na minha história transatlântica.

Ela começou a falar sobre meu passado e algumas coisas bateram em cheio. E claro, eu balançava minha perna de ansiedade para saber se o homem da minha vida viria ainda nesta existência ou eu teria que esperar até a próxima. E nada dele aparecer nas cartas. Eis que no meio de um assunto qualquer surge uma figura que bateu com a descrição do furacão, mas não tem batido muito com o que aconteceu depois. De acordo com ela, teríamos uma história cheia de altos e baixos e ele me procuraria ainda naquela semana. Ele respondeu um email que eu havia enviado, foi simpático no dia seguinte e em seguida me colocou na geladeira, onde permaneço até este momento.

Como neste meio tempo surgiu outra figura, eu até resolvi transferir as previsões que eu remeti ao anterior a este, mas nada batia, inclusive a descrição. Pois bem, teria que arrumar um terceiro e num espaço curto de tempo. Ele surgiu: moreno, alto, cabelos desalinhados, interessante, gostoso e com todos os itens para ser o homem da minha vida, mas além de ter sido daquelas histórias incríveis, foi rápida demais para ter qualquer continuação, até porque não há um motivo sequer para que ela continue e ele também estava fora da descrição.

Ela também disse que o homem da minha vida surgirá no meio do ano que vem. Já anotei num caderninho com todo o carinho para me apegar a ele em momentos de desalentos. Falou até que ele é bonito, fez questão de frisar que é brasileiro, tem 1,80 mais ou menos e cabelo castanho claro. Se você está lendo meu blog e está dentro dessa descrição, pode ser que você seja o homem da minha vida, então me escreva e assim podemos antecipar em sete meses a minha felicidade emocional.

Quando a consulta chegava ao fim eu a olhei decepcionada e perguntei o porquê do país neutro não ter aparecido nas cartas, afinal ele esteve na minha vida por alguns meses, teve relevância e eu tive muitos planos com ele. Acabou, mas enfim, fazia apenas uma semana. A resposta é que faltou paixão na história.

Fui embora animada porque eu precisava acreditar um pouquinho que alguém iria me ligar na semana seguinte, mas não foi bem assim. Em um mês várias amigas estiveram na tal vidente, outras já marcaram consulta e todas sem exceção foram [ou vão] buscar um calmante para o coração, até porque coincidentemente todas estão solteiras.

De qualquer forma posso dizer que tal consulta valeu mais do que uma sessão de terapia, pois eu estava precisando acalentar um pouco os meus sonhos. Como disse Allain de Botton em "Ensaios de amor", o amor é ainda uma das maiores preocupações do ser humano [pelo menos das mulheres].

"O amor é uma coisa fluida, misteriosa, a qual você tenta impor ordem e ela explode na sua cara. Mesmo assim sempre vale a pena continuar tentando." E aí uma vidente pode à sua maneira incentivar nossas tentativas.

Postado por Desiree às 7:49 PM |



6 Comments:
Blogger Juliana A.B.F. escreveu...

Até a semana passada, seu blog era só um link no blog do Randall. Aí, comecei a ler por curiosidade, e continuei lendo, até que viciei e virei leitora. Adorei, achei o caminho e agora virei frequentadora assídua. Um abraço.

7:36 PM  
Blogger nandi escreveu...

bom... se funcionar vc avisa e passa o telefone da mulher! =)

7:49 AM  
Anonymous Bernardo escreveu...

Pois é, já fui numa dessas... não sei nem porque já que acredito piamente que podemos mudar nosso destino... daí de quê adianta ouvir certas coisas? Se eu não gosto eu mudo mesmo...

12:42 PM  
Blogger gigi escreveu...

acho que não conheço nada mais doído que falta de alento emocional. nada pior que não encaixar as pessoas, os fatos passados e as projeções conjuntas nas atitudes, nas verdade e mentiras que cada um conta.

amo teu blog.

1:05 PM  
Blogger Ethan escreveu...

Talvez vc devesse consultar tambem uma astrologa e uma numerologa. Uma numerologa provavelmente diria que vc tera mais chances de conhecer o homem da sua vida em um ano 5 ou 6, ou talvez um ano 9. O ano 5 é pra diversao e viver novas experiencias, o 6 para assumir compromissos, e criar uma familia talvez, e o 9 um ano de grandes mudanças. Ela faria alguns calculos para determinar em que ano voce esta. Ja a astrologa provavelmente iria analisar a posicao de venus, ou algo assim no seu mapa. Nao sei. Mas nao custa nada tentar
;)

12:50 PM  
Blogger Dara Martins escreveu...

Gostei de te ler!
Continua!
Beijinhos!!
Vou te visitando. . .
;)
Dara

3:09 PM  

Postar um comentário

<< Home