terça-feira, dezembro 12, 2006
o que é ser bom de cama?
Um dia desses um amigo me questionou o que para mim é um homem bom de cama. Eu não soube responder, assim como não sei definir uma mulher boa de cama [até porque elas não me interessam]. Aí fui conferir meu próprio histórico e analisar detalhadamente o número um da minha cama [ops, da minha vida]. Discutindo ainda o assunto com outro amigo, ele disse que não valia, já que este número um era ex-namorado e eu expliquei rapidamente para ele que eu me apaixonei por ele justamente por isso, tanto que foi um relacionamento que funcionou basicamente na horizontal.

Claro que há algumas regras básicas para considerar alguém bom: se interessar pelo outro com quem está compartilhando o momento, deixar os pudores de lado, pegar, apertar, beijar, acariciar, mordiscar.... ser sem-vergonha mesmo e claro, em momento algum demonstrar que o que tem a sua frente é uma boneca inflável, porque por mais rídiculo que isso pareça, há muitos que agem assim e o bom é que dá para se livrar deles antes mesmo de chegar lá, afinal naquela pegadinha básica [de beijo na boca e apertões] já dá para sentir onde a coisa pode dar.

Das últimas aterrizagens na minha vida uma muito me surpreendeu, chegando a compara-lo com o número um e curiosamente a maneira de agir era muito parecida. Coincidentemente um outro amigo ao ver a foto dele disse que ele fisicamente lembrava o número um, o que eu não concordei, mas aí sorri ao lembrar que eles se pareciam sim, mas em outros quesitos.

Acho um pouco difícil comparar pessoas com quem você tem um relacionamento mais duradouro, porque aí vão descobrindo coisas juntos, se sentindo mais à vontade... quando é um desconhecido você não sabe até onde pode ir, o que o outro curte e rola aquele receio de pedir algumas coisinhas e isso não quer dizer que não vai ser tão bom apenas por não ter essa intimidade toda, ao contrário, muitas vezes pode ser melhor do que com alguém com quem você tenha toda intimidade do mundo. Um amigo me confidenciou que preferia as ocasionais às regulares, pois elas tendem as ser mais intensas.

O que conta muito também é a vibe que estamos e o que queremos no momento, pois hoje posso estar apenas uma mocinha romântica e querendo alguém que me encha de beijinhos e faça tudo devagar e amanhã posso querer alguém capaz de me virar do avesso.

Enfim, não há regra para definir alguém bom de cama e concordo que a química é imprescindível. E também não importa tanto assim ser bom ou ruim, importa o prazer que vamos ter. Nem sempre o melhor é o que vai fazer você chegar lá, mas enfim como eu e um amigo acabamos de chegar à conclusão, importa mesmo se você é bom de cama porque aí tudo fica muito mais fácil de se resolver, afinal se ficar a desejar você mesmo dá um jeitinho de se satisfazer.

E para você, o que é alguém bom de cama?

Postado por Desiree às 6:27 PM | 16 comments



segunda-feira, dezembro 11, 2006
questões sobre a idade
No post anterior eu citei rapidamente um momento de desespero que tive ao saber que estava entrando na fase da decadência feminina. Ontem um amigo falava sobre um encontro com uma garota que conheceu na internet. A idade? A metade da dele. A dele? Menos que a minha. Fiquei um pouco chocada. Acho que sou mesmo preconceituosa, mas quando eu tinha a idade da menina, eu o acharia velho demais para mim, o que confirma de que fato eu sempre fui preconceituosa.

Aí perguntei se ele gostava de meninas mais novas [e bem mais novas] e ele disse que as prefere. Mas por quê? E então ele explicou que as mais velhas sempre têm planos feitos, automaticamente rola uma cobrança maior e apenas namorar pode significar perder tempo.

Eu não entendo muito bem o que é perder tempo com alguém neste sentido. Perder tempo para mim é estar com alguém que não acrescenta nada, que suga, que estressa e que proporciona pouco prazer. Caso contrário, eu considero lucro, mesmo que dure um dia.

Ele citou alguns relacionamentos que teve com as mais velhas e eu o compreendi perfeitamente, mas também chegamos à conclusão de que o que ele procura é justamente não selar um compromisso. Ele concordou. Aí cheguei à conclusão que também gosto dos mais novos, mas não porque eles não querem compromisso, mas porque eu me identifico mais com eles e também porque os interessantes da minha faixa etária já estão na maioria “arranjados”, por isso ampliei o meu target.

Este final de semana foi um exemplo ao me deparar com um potencial homem da minha vida. Fisicamente de acordo com o meu gosto, idade compatível com a minha, os mesmos interesses, papo fluído, mas indisponível. Aí revira os olhos, sente aquele friozinho na barriga, mas se joga na frente do espelho e grita “não vá em frente, você vai se dar mal nessa”. Odeio quando tenho crises racionais e elas têm sido constantes.

Postado por Desiree às 6:37 PM | 4 comments



segunda-feira, dezembro 04, 2006
devaneios com uma taça de vinho
Gosto muito de tomar vinho e é uma das poucas coisas que não falta na minha casa. Solta a imaginação, deixa os sentidos à flor da pele e os desejos vêm à tona. Hoje vou deixar as idéias correrem soltas sem compromisso, então não esperem por um texto coeso, pois provavelmente ele não vai rolar.

Algumas constatações:

A revista Veja fez um especial [será falta de assunto? o que anda acontecendo no planalto além do presidente estar numa cadeira de rodas?] sobre a solteironas. É, pela estatística da revista as minhas chances de me arrumar são mínimas. De acordo com outro amigo durante uma conversa hoje no msn, eu soube que o auge feminino rola entre os 32 e 35 anos, o que me deixou em pânico, já que não vai demorar muito para eu começar a minha decadência humana.

Ou seja, pela revista Veja e pela pesquisa que meu amigo andou lendo, eu só tenho um futuro nada agradável pela frente, afinal serei uma solteirona e decadente. A sorte é que eu tenho uma vidente muita mais otimista que prometeu que junto com a minha decadência, vem o homem da minha vida. Será que ele consegue também me salvar da solteirice?

Pois bem, tenho que ADMITIR [é, letras maiúsculas para ter certeza] que as coisas anda muito bem a ponto de eu achar mesmo que o melhor é não ter compromisso, afinal o tal NO utilizado no tema do blog tem sido quase que nulo, já que esta pessoa que escreve anda na fase da quase bonança e digamos, bonança qualitativa. É, porque ainda temos um problema dois a lidar: ter pessoas compartilhando sua intimidade não quer dizer que a sua satisfação esteja garantida, afinal os moçoilos andam afoitos demais e pouco atentos ao prazer alheio. Pronto, falei!

Postado por Desiree às 11:44 PM | 11 comments