quarta-feira, julho 09, 2008
Sex and the city e eu
Este blog foi inicialmente inspirado na série, porém num momento distinto em que sexo parecia algo inalcansável. Basta ler meus primeiros textos caso tenha curiosidade.

Quando anunciaram o filme, eu entrei em polvorosa, pois morria de saudades do quarteto que me inspirou por um bom tempo.

Voltando no tempo.....

Fui a uma festa com meus amigos. Logo que entramos no carro eles anunciaram que me arrumariam um namorado neste noite. Eu ri e falei que estaria esperando. Em duas horas de festa já tínhamos nos convencido de que eu não arrumaria ninguém por ali. Continuei com meu copo e me sentindo imponente no lindo vestido que eu tinha escolhido para me acompanhar naquela noite.

Conversa com uns aqui, conversa com outros ali. Já no meio da madrugada eu resolvi arriscar a pista e logo fui puxada por um cara com quem tinha trocado poucas palavras logo que cheguei por lá. Não demorou para que ele me tomasse nos braços e me beijasse.

Depois fui levada até a porta de casa, dei meu número de telefone e ri ao me dar conta de que a noite tinha rendido algo que eu não esperava, mas talvez meus amigos sim.

Dias depois ele me ligou e saímos para jantar. Confesso que me senti incomodada quando ele pegou na minha mão e me agarrou em frente a portaria do meu prédio quando se despediu de mim. Não estou muito acostumada a isso.

No dia seguinte combinei com algumas amigas de assistirmos o filme "Sex and the city". Enquanto uma delas não chegava, eu tomava meu café na cafeteria do cinema e narrava a minha noite anterior. De repente parei e soltei para ela:

- Aliás, ele é aquele ali.... que está com a.... namorada.

Confesso que a decepção bateu forte. Rimos, afinal estávamos indo assistir um filme que discute justamente as atuais relações amorosas e neuras femininas. Lá estava eu fazendo parte da história antes mesmo do filme começar. Entramos no cinema, passei por ele, enquanto ele acariciava a garota com quem estava.

Obviamente não resisti em mandar um sms dizendo "que coincidência, você também assistindo sex and the city". Não houve resposta.

Somente no dia seguinte é que ele se pronunciou e trocamos vários torpedos até ele dizer que ela não era namorada, mas sim mais "uma". Não com essas palavras, claro, mas com esta tradução literal.

Fiquei desapontada, mesmo ele não tendo muito a ver comigo, mas por ser alguém que eu gostei de conhecer e que me deixou com vontade de conhecer mais.

Percebi que as coisas andam tão difíceis na ficção quanto na realidade. E que minha vida, talvez menos dramática, é um grande episódio de "Sex and the city".

Marcadores: , ,

Postado por Desiree às 7:35 PM |



4 Comments:
Blogger Cristiane escreveu...

A vida de todas nós é um "Sex and the city". Um dia vc é uma, no outro é outra...
Adorei o post, mas odiei o cara. rs
bj

7:49 PM  
Blogger Alexandre escreveu...

puxa, parece mesmo um episódio da série. para os órfãos da série como eu, é sempre bom ler os seus posts, mesmo em situações complicadas como a relatada.
boa semana...

1:46 AM  
Blogger A vida é feita de escolhas escreveu...

Que maneroesse cantinho. Choquei num bom sentido com o texto.
Gostei do seu espaço é dez.

7:36 PM  
Blogger Rafa escreveu...

Concordo com a Cristiane, todos nos temos um pouco de "Sex and the City" na nossa vida, por isso que eu acho que não consigo viver muito tempo longe dessa serie. Mal posso esperar pelo o filme que deve passar em breve na programação HBO . Obs.: Adorei o post e que cara horrível!!

3:51 PM  

Postar um comentário

<< Home