domingo, julho 09, 2006
a paixão
Hoje assisti o filme "Infelidelidade" por acaso e comecei a divagar com meu amigo sobre as "peripécias" da paixão [e obsessão] e onde ela pode nos levar, afinal quem se apaixona geralmente perde a razão.

Como a paixão é capaz de nos desestabilizar e tirar o [pouco] controle das nossas mãos. Lembro-me quando a Marta Suplicy estava ainda na prefeitura e namorando com o Luis Favre, a Danuza Leão disse que mulher x paixão x administração não rola, por isso tudo ia mal na prefeitura, afinal a mulher se apaixona ela não consegue pensar em outra coisa. Eu geralmente penso em férias. Enfim, se estamos apaixonadas a probabilidade de ter a mente concentrada em qualquer outro assunto que não seja o corpicho e as emoções proporcionados pelo outro, é mínima mesmo.

Eu já me vi várias vezes em outro planeta nas vezes em que me apaixonei. A pele fica ótima, os olhos brilham, bom-humor e cabeça nas nuvens... claro, se tudo estiver correndo bem na tal paixão. Já se as coisas não estão saindo como gostaríamos, aí a história é outra. O humor fica péssimo, a pele enruga e ganhamos um olhar obsessivo, fora as várias mentiras que contamos para nós mesmas. A alimentação também muda completamente. Eu geralmente como menos.

Resumindo: somos ridículas quando nos apaixonamos. Fazemos várias bobagens, perdemos qualquer vestígio de racional e claro, queremos o tempo inteiro falar da nossa paixão. Por isso é difícil mesmo dialogar com pessoas apaixonadas. Eu sou movida à paixões, sejam elas quais for. Tenho obsessões: seja por um autor, um cineasta, uma série, uma banda, um(a) amigo(a), uma revista, um fotógrafo. Qualquer coisa que me fascine é capaz de fazer eu ter a mesma obsessão que tenho quando me apaixono, por isso descobri que sou péssima para administrar, já que geralmente eu estou apaixonada por alguém ou por alguma coisa [ok que as medidas são diferentes, mas me desconcertam da mesma maneira].

O divertido da paixão são as fantasias que criamos. Eu tenho um vizinho que andava me fazendo passar mal. Eu já sabia todos os seus horários e as músicas que ele escutava [então eu colocava meu som bem alto escutando a mesma coisa]. Comecei a acordar um pouco mais cedo apenas para me esbarrar nele no estacionamento; levava o lixo para fora no horário em que ele chegava; ia jantar no seu restaurante. Como paixões costumam ter prazo de validade, ela não demorou muito para acabar... há dois dias atrás eu esbarrei com ele na escada:

- Dê, esse é o.... - tentou perguntar o meu amigo

- Claro que não!

- Ah, bom, porque ele é péssimo. Que cabelo é aquele?

- Hahahahahaha... - ri concordando com ele

- Mas e aquele seu vizinho que você andava toda interessada? Nunca vi!

- Acho que ele se mudou.

É, ficamos ou não ficamos ridículos? Pelo menos eu ainda não matei ninguém.

Postado por Desiree às 12:55 AM |



14 Comments:
Blogger Edward Bloom escreveu...

Como eu sou uma pessoa razoavelmente desinteressante, não ando caindo muito nessas coisas aí porque hoje em dia anda tão difícil achar garotas bonitas e desinteressantes...elas estão sumindo...

12:11 PM  
Anonymous Pantera escreveu...

É... O jeito é você administrar o seu homem, assim tem como fazer as duas coisas!!! Mas bobegem dizer que mulher quando está apaixonada nao consegue fazer mais nada... Exagero também, coisa de machista que diz que mulheres nao nasceram pros cargos altos pela TPM, menstruaçao e paixao... Ridículo eu acho... Afinal os homens também se apaixonam e quando isso acontece eles ficam inúteis e bobos e quando aquilo nao funciona o mundo se acaba... Cada um com seus problemas...

1:10 PM  
Blogger Desiree escreveu...

é, no fundo todo mundo que se apaixona se "desastabiliza" um pouco e isso muitas vezes nem é ruim

2:33 PM  
Anonymous Tiago escreveu...

uahuhauahuhahaa.

q situação..

e to tentando lembrar desse filme.. sabe q n lembro se já vi? e olha q cuido muito isso.

3:26 PM  
Anonymous Thatty escreveu...

Hum... Concordo com tudo! Já perdi tantas vezes a razão que a cada paixonite terminada, tento relembrar quem sou. Passada toda a angústia, chego a conclusão de que valeu a pena. Até porque, sei que vai acontecer de novo!!!

6:10 PM  
Blogger André escreveu...

mas sem essa paixao e consequentemente o descontrole, nao seriamos tao diferentes de qualquer outro animal. mesmo nós, homens, muitas vezes ficamos bobos qdo apaixonados... é legal! ehehe

11:09 AM  
Blogger Inagaki escreveu...

Amar hemburresce.

9:41 PM  
Blogger bzfaz escreveu...

dessiree,
como está?
ha tempos não vinha por aqui....de cara nova, né?
adorei o texto,não mata ninguem não, ache outros jeitos...torture..heauheeheauheiahaihiea..
tô brincando..
beijos...

11:33 AM  
Blogger nandi escreveu...

ficamos ridículos. mas só s torna problemático s for no singular...
;-)
bjs

6:22 PM  
Blogger nadja soares escreveu...

ahahahaha
adorei!!!

10:12 PM  
Blogger Marcela Luisa Fronczak escreveu...

oi!
Adorei seu blog... ainda não li tudo, mas gostei do que vi!

Posso colocar o link no meu?

meueubizarro.blogspot.com

6:28 PM  
Blogger pensamento escreveu...

Vai-se ficando... ficando.
Caracteres

6:09 PM  
Anonymous Terráquea escreveu...

Tem um texto ótimo da Martha Medeiros que fala sobre isso: "os perigos da paixão". Eu, eterna apaixonada, curti muito. Bjos!

1:24 PM  
Blogger Lilize escreveu...

hahahaha
esse filme é otimo, e o frances eh lindo, seria dificil resistir a ele... hehehe

realmente mulheres ficam pateticas ao se apaixonarem, acho q por isso eu fui me tornando um pouco mais calculista com o tempo...

hahah qto ao seu vizinho ex-gato, vc pode nao te-lo matado, mas juro q fiquei com medo de vc... hahaha brincadeira, quem nunca fez isso neh?
;* beijos!

4:02 PM  

Postar um comentário

<< Home