quinta-feira, março 23, 2006
tirando poeira das lembranças
Estou ouvindo Mercury Rev e ouvir a banda me trouxe lembranças divertidas. Com exceção ao vocalista, que é uma bichinha bem chata, a banda é bacana e os caras são bem simpáticos. Dividimos a cerveja e comidinhas servidas no camarim no ano passado. Rimos, falamos coisas rápidas sobre o show, que iria começar em minutos até a chata da tour manager deles vir arrasta-los para outra sala.

E essa noite veio à tona hoje duas vezes na minha cabeça. Lá estávamos fazendo as unhas e a dona Luciana Gimenez surgiu no assunto. A manicure disse:

- Todo mundo diz que ela é burra, mas burra ela não é mesmo.

- Concordo. Ela teve um filho com o Mick Jagger.

- E tá se dando bem na TV.

- É, tem herdeirinho. Chique essa mulher.

Eu nunca tive uma oportunidade de ouro como essa dona Gimenez, mas como estou numa fase em que sexo é mera lembrança de tempos remotos e fartos, eu fiquei lembrando dos dias em que coisas mais interessantes rolavam na minha vida.

Noite barulhenta. Lá estava eu com o Raveonettes assistindo ao show do Mercury Rav. Bebendo, bebendo, derretendo, bebendo, bebendo. Lá do alto o show era realmente bonito, mas estava numa vibe oposta a que estávamos.

Na manhã deste mesmo dia eu tinha assistido um show do Mercury Rev particular. Éramos três, eu e mais dois amigos, como platéia. Eles passaram o show inteiro e o vocalista bichinha [desculpe-me se alguém morre de amores por ele, mas eu bodiei] estava contido e mais simpático. O tal show particular foi ótimo e eu vibrava emocionada. Afinal lá estava eu e o Mercury Rev tocando só para mim [pelo menos fiz ser assim para eu ficar feliz].

Já à noite não estava rolando. Aqueles braços abertos e os dedinhos se mexendo começaram a me irritar. Dona Sharin, uma loira muito linda, começou a me olhar entediada. Ah, ela também gosta muito do Mercury Rev e só tinha esticado a noite por ali porque queria ver o show deles. E com ela também não estava rolando. Já no meio do show ela disse que queria ir embora. O restante da banda também estava impaciente e uns ficando bodeado.

Fugimos do local e fomos todos dançar e beber mais um pouquinho. A máxima da noite foi quando meu rock-star do dia disse:

- Seria uma boa ter um filho no Brasil. Daria um marketing incrível para a banda.

- Ahn?

- Não acha?

- Será?

Imaginei-me como mãe. Como seria meu filho? Teria olhos azuis como os dele? Pele branquinha? E os cabelos? Que puxasse os meus, pelamordedeus. Provavelmente seria magrinho. Será que nasceria cantando? Ou dançando? Eu ia sair na Revista Caras e seria conhecida eternamente como "mãe do filho do..."? Tirariam fotos de nós quando saíssemos da maternidade? Ele viria ao Brasil para conhecer a escolhinha do filho? Ou seria filha? Acho que seria menino. Eu sempre acho que se um dia eu tiver um filho, ele será menino. Certezas daquelas que a gente carrega e nem sabe o porquê.

Uma vidente há anos atrás disse que eu teria três filhos. Meu tempo está se esgotando. E ainda disse que eu teria um aborto. Errou nas duas previsões, a não ser que eu fique grávida e perca o bebê por qualquer motivo que não seja uma vontade própria, tenho até um lado maternal [que poucos acreditam] que não se conteria de tanta felicidade. Três filhos acho pouco provável, a não ser que eu arrume um milionário, pois não me contentaria em dar menos do que eu gostaria aos meus filhos e hoje ter filho é bem caro. Então eu teria um.

E cá estou falando em filhos e a única coisa que eu queria hoje era um cafuné.

--> Nem era isso que eu ia escrever, mas agora vai assim.

Postado por Desiree às 4:22 PM |



8 Comments:
Blogger Pantera escreveu...

Já pensou em trigêmeos? :)

5:23 PM  
Blogger Serjones escreveu...

Desiree, adorei esse texto porque ele junta 2 histórias aparentemente nada a ver uma com a outra (vc com a banda e a Gimenez)pra dar um outro sentido pro texto. Gosto muito desse recurso narrativo!

10:05 AM  
Anonymous guetoblaster escreveu...

me abraçe e me de um beijo. faça um filho comigo. só não me deixe sentado na poltrona num dia de domingo.

11:18 AM  
Anonymous Tiago escreveu...

Vc n ia aparecer em lugar algum pq aqui no Brasil só existem duas bandas: Rolling Stones e U2. O resto nunca se ouvir falar.

E Mercury Rev, amo! As minhas favoritas são Opus 40 e Holes!

11:58 AM  
Blogger Ota escreveu...

hauhauahuahuahauh
concordo com o tiago
na caras vc nao ia aparecer, mas quem sabe ficaria famosa no meio dos blogues indies.

1:19 PM  
Blogger André escreveu...

O serjones pegou minha linha d raciocinio ...tava aki matutando me perguntando pq gostei desse texto e o q ele tinha d diferente: bingo! e fehcou mto bem:Nem era isso que eu ia escrever, mas agora vai assim. =] Gostei!

2:40 PM  
Blogger Desiree escreveu...

hahahahahaha... ainda bem que não corri o risco de querer ter meu momento fama! rs...

2:54 PM  
Blogger Lilize escreveu...

hahaha trigemeos, céus!!!! depois de cuidar de trigemeos para uma familia dinamarquesa, eu decidi q estou pronta pra ser mae...

ser mae de um mini-rockeirinho não seria uma má pedida tb né? hahaha... adorei seu blog, geralmente não gosto de blogs com textos mto extensos, (fico com prguiça, sabe como e...) mas aqui foi fácil ler hehehe...

ah... eu to aprendendo sueco, eh q eu jah morei la e vou voltar em breve... onde e pq vc aprendeu? e afinal mora onde?

beijos!

5:22 PM  

Postar um comentário

<< Home