terça-feira, fevereiro 07, 2006
matraca
Hoje fiquei brava porque um amigo que gosto muito andou falando mal de mim. O problema nem é falar mal, mas é falar mal de mim para um grande amigo meu, que aliás, foi eu que o apresentei. E além de falar mal de mim, acha que sou louca por ele. Pois bem, louca eu não sou. Louca sou de um dia ter cogitado a idéia de ficar com ele.

Ele é D, o tal "ex-pretê na roda". Diante da minha indignação pelos comentários tecidos por D., eu resolvi coloca-lo temporariamente na geladeira, o que representou deleta-lo das teias cibernéticas que nos ligavam. Claro que ele percebeu e perguntou se eu tinha batido a cabeça. Ignorei.

É isso, nunca deixe uma mulher furiosa, pois tendemos à vingança, mesmo que ela não seja necessariamente uma vingança clara. Depois, já no carro em direção à minha casa e com D na minha lixeirinha ciber, eu comentava indignada com a minha amiga o que D falou a meu respeito.

Ela concordou num ponto: como ele fala mal de mim para o meu amigo? É, esse foi o erro dele, porque como podemos falar tão mal do mundo o tempo inteiro?

Eu já fui uma pessoa mais bacana e ultimamente ando uma pecadora compulsiva. Talvez sejam as más influências, porque há fases que sou assim: altamente influenciável, em especial quando estou na tpm. E ando falando mal mais do que deveria [vários puxões de orelhas, por favor!]. Um hábito adquirido há pouco tempo, mas que tem me tornado uma pessoa detestável.

Obviamente eu não tinha sacado isso. Cá estou revendo esse meu ladinho "big brother" e me colocando na linha, senão eu corto alguns dos meus pequenos prazeres em vingança a mim mesma.

Homem fala mal das pessoas, mas num grau muito inferior às mulheres. Como podemos achar defeito em tudo, criar um problema em pequenas bobagens e achar desvio de caráter no mundo e achar que somos as únicas ótimas e perfeitas?

Pois bem: aqui está meu manifesto contra minha boca, que será daqui por diante mais generosa [ou muda] em relação ao mundo. Ah, e claro, hora de falar menos [também não é calar a boca para sempre], porque mulher que fala demais é muito chato e acho que muitos dizem por aí:

- Ela é legal, mas falaaaaaaaaaaaaaaaaaa que é uma coisa!

Já está na minha listinha básica de coisas que quero fazer e eu chego lá.

Postado por Desiree às 11:35 PM |



5 Comments:
Anonymous karla noara escreveu...

Mas existe mulher que não fala muuuito?rsrsrs
"Falar de" é sempre chato, melhor "falar com", mas como nem sempre é possível, temos que conviver com estes defeitos de fabrica dos seres humanos, neh?
Ah, jah toh quase decidindo e se coubesse mandava uns por envelope.
bjos

5:01 AM  
Anonymous karla noara escreveu...

Ah, nao!Acabei de ler um post passado seu e tive que voltar pra protestar!
Vc tem que explicar o passo-a-passo do indiozinho,com desenho e tudo se preciso.
Vou fazer bico e chorar a semana inteira se vc não me ensinar!
Rrsrs

5:13 AM  
Anonymous Guilherme escreveu...

Oi Desiree! Valeu pelo comentário no meu blog. olha, gostei demais do teu jeito de escrever (adicionei teu blog nos meus favoritos). Como consegues atualizar TODOS OS DIAS?? Eu já tenho preguiça de atualizar quinzenalmente!!! Que bom então. Teremos no-sex todos os dias antes da sessão coruja. Grande beijo. Gui

11:45 PM  
Anonymous Randall escreveu...

Não entendi a parada das coisas que vc deseja fazer... mas concordo sobre não deixar uma mulher furiosa.

12:33 AM  
Blogger Serjones escreveu...

Furiosa, vingativa e pecadora compulsiva?

1:02 AM  

Postar um comentário

<< Home