sábado, setembro 08, 2007
Sex and the city à minha volta - cap I
Estou numa fase em que parece que todas as minhas amigas, incluindo eu, estão com os hormônios em ebulição e já poderíamos ter nossa própria série "mulherzinha".

Uma das minhas amigas começou a namorar há uns três ou quatro meses atrás e por tudo que já rolou a impressão que tenho é que a história rola há pelo menos um ano. No segundo encontro ela se comoveu porque ele estava devolvendo o apartamento e não tinha para onde ir, então ela o levou para sua casa, o que obviamente fez todos os amigos acharem uma decisão precipitada.

Isso não me comove muito, já que meus pais foram morar juntos no dia em que se conheceram e estão lá, juntos até hoje.

Entre tantas pessoas contra, eu com minha alma mediadora (que ando odiando nos últimos tempos) falei que ela deveria fazer o que estava afim. Pois bem, ela se jogou e pouco mais de dois meses depois já estava arrependida.

O cara era um controlador de mão cheia, encanava com qualquer roupa que ela vestia, comia, fazia e neste mesmo período todos os amigos dela já não tinham mais paciência com o ser, inclusive a própria. A história virou um drama mexicano, com direito a ela fugir da sua própria casa e o largar por lá com sua roommate, o que obviamente não agradou à sua amiga e a história ganhou pitadas mais dramáticas ainda.

Não demorou muito para eles reatarem e ele voltar a "pseudo" morar com ela, já que sua roommate não estava mais afim de dividir a casa com uma terceira pessoa. O namoro segue com altos e baixos e várias regras. Na maioria das vezes ela sai somente escondida, porque tal ato pode resultar em crises homéricas.

E eu, solteira e em busca de alguém para fazer meu coração bater mais forte e minhas pernas tremerem, assisto de camarote e sinto-me aliviada em estar sozinha e não ter que administrar uma relação tão conturbada. Fico com preguiça.

Postado por Desiree às 4:11 PM |



9 Comments:
Blogger Nandi escreveu...

putz! EU fiquei cansada só de ler =)pra que simplificar se dá pra complicar? rs

11:34 PM  
Blogger vareira escreveu...

è bom preguiçar!e não procure...um dia destes ele vai estar bem debaixo do seu nariz e você será "arrebatada"!!!Há um ano atrás eu jurei que não queria mais ninguém...nem aventura, nem nada...quase "entava para um convento"...vai daí ele apareceu bem debaixo do meu nariz...grande beijo!

6:37 AM  
Anonymous Chic0 escreveu...

Digamos que é possível que ir morar junto já no primeiro mês dê certo...
Mas, a probabilidade maior é de que dê tudo errado.
;)

12:49 PM  
Blogger Juliana A.B.F. escreveu...

Convivência é uma coisa engraçada. A pessoa é outra depois que a gente passa a morar junto. Invariavelmente. Porque aquelas maniazinhas, ciúmes, mau humor, maus modos que antes dava pra esconder (ou, pelo menos, administrar), aparecem com a convivência. E aí é tentar descobrir se isso não é um pouco demais pra relação. Se for tranquilo, há chances de dar certo. Se não, aplica-se o velho "antes só...". Agora, sinceramente, ficar comovida porque o cara não tem para onde ir é um péssimo motivo para viver com ele. Melhor, então, adotar um hamster.

8:53 AM  
Anonymous andre escreveu...

Quando a pessoa chega a ponto de ter que sair escondida é porque tem alguma coisa muito errada mesmo. E a convivência tem um outro risco muito grande, além daquele citado acima, que é a pessoa simplesmente se acostumar. Por mero hábito passa a tolerar coisas como a privação da liberdade, ou pior, ter que transgredir alguma coisa que a princípio não deveria nunca ter aberto mão. E nem se dá conta da gravidade disso.

8:33 PM  
Blogger Mariana escreveu...

toda panela tem sua tampa...
mesmo que pros outros pareça estranho, acho que se ela vive essa situção, é pq de uma forma ou de outra ele tampa a panela dela.

12:25 PM  
Blogger Caio escreveu...

Oi! Muito bom o texto...
Tomei a liberdade de publicar no meu blog, box fechado.blogspot.com, que fala sobre seriados que já acabaram... Este mês nosso especial será Sex and the City, então, achei que valia...

Enfim, se não gostou da idéia é só dar um toque. Creditei o texto, claro!

Um abração,

Caio

11:20 AM  
Anonymous Spatizinha* escreveu...

interessante é agitar-se com as amigas por aí, ligar o foda-se e relaxar...Pode cre, é tão gostoso quanto estar acompanhada com um gatuno qualquer...
porém não nos enganemos; só o toque frio do SMS tocar, e o pânico aliado a ansiedade tomam conta de nós como se fossemos frangos prontos pra assar.
Lastimável, porém mutável...
(acredito que as próximas gerações femininas não apresentarão estes sintomas).
Por enquanto, seguimos com as amigas.

3:50 PM  
Anonymous Roberto escreveu...

aqui, é melhor ter uma relação conturbada, do que não ter ninguem para com quem conturbar.

1:03 PM  

Postar um comentário

<< Home