sábado, fevereiro 24, 2007
relação aberta funciona?
Há dias tenho divagado sobre relacionamento aberto. Uma amiga muito próxima mergulhou no meio de um, talvez sem querer ou talvez porque pareceu excitante demais.

Há não muito tempo atrás conheci alguém adepto de tal tipo de relação. Estava tão apaixonada que não titubeei em aceitar tal condição já que estava de quatro pelo rapaz. Logo no início eu aproveitei o acordo, mas me dei conta de que estava tão apaixonada que parecia impossível eu me interessar por alguém e aí "aquietei". Passou-se algum tempo e eu comecei a arrancar os cabelos, eu que não era a pessoa mais ciumenta comecei a ficar.

Lembro-me ainda quando ele optou por passar o reveillon por outros cantos e na volta eu não resisti em perguntar se ele tinha ficado com alguém e ele respondeu que sim. Ainda receosa eu perguntei se ele tinha transado com este alguém e ele disse que sim. Estremeci, mas não podia falar nada, já que tinha aceitado tais condições. Ele ainda disse que não mentiria para mim, que gostava era de mim e o que tinha rolado era meramente sexo.

Racionalmente a coisa toda até fazia sentido, mas emocionalmente não funcionava para mim. Dei-me conta do quão caretona eu sou. Depois de seis meses juntos, e eu prestes a abrir mão da relação, ele pediu para não termos mais um relacionamento aberto e pelo que sei, não ficamos com outras pessoas após este período até o namoro terminar.

Pensando muito friamente ter uma relação aberta é muito honesto, mas há tantas coisas intrínsecas no ser humano que é difícil colocar na prática, pois a maioria de nós é possessiva. Já ouvi histórias de que estar apenas com uma pessoa quando a ama é suficiente, já ouvi histórias de pessoas que ficar com outra pessoa quando se está com alguém que ama não é porque se ama menos. Desconfio que os homens lidam melhor com isso, pois dissociam bem sexo & sentimentos, a mulher tem uma facilidade maior de se envolver, pois somos mais sentimentalóides.

Claro que temos aí a mulher 2000 que é modernosa, independente e já quebrou esse paradigma há tempos. Eu achei que era uma, mas vi que sou mesmo de outra geração, muito mais bonachona, romântica e só falta mesmo acreditar no princípe encantado, que aliás, não vai chegar nunca, pois princípe encantado não tem defeitos, não tem fraquezas... é a perfeição e isso sabemos que não existe [ainda bem!].

Antes de começar este texto eu dei uma zapeada na web atrás de histórias e conceitos sobre relacionamento aberto. Li coisas curiosas, inclusive este depoimento que me surpreendeu. há também comunidades relacionadas no orkut, entre elas há Poliamor em que as pessoas defendem este tipo de relação, inclusive há um tópico muito interessante sobre religião x poliamor.

Para ela que está de fora da relação parece mais simples, mas muitas vezes ela se questiona como deve se sentir as pessoas que estão dentro da relação. Ele parece tranquilo e leva o assunto na flauta. Sem dramas, sem possessões, sem qualquer cobrança, mas também é bem cômodo. A segunda sabe da história e faz que não liga, mas eu sempre acho que as mulheres ligam, a não ser que ele já não signifique muito para ela.

A minha amiga, que já sabe as chances de se dar mal na história, afinal é a típica "mulherzinha", começa a traçar planos complexos de como sair fora dessa, mas já sente dificuldade logo no início da empreitada. Sabe que é sua caretice não permitiria ir longe nisso. Admiro quem encara e consegue ser tão despreendido a ponto de manter uma relação assim e ser feliz nela, mas ainda não conheci um.

E você, como vê essa história de relação aberta?

Marcadores: , , ,

Postado por Desiree às 10:50 PM |



21 Comments:
Blogger Rafa di Luca escreveu...

primeiro: gostei do blog!

Segundo: não acho relação aberta algo legal. Na verdade, isso vai depender muito da forma como o acerto entre os envolvidos for efetuado, mas no geral acho desgastante, incomodo e acho que ela esconde coisas com as quais não queremos lidar.

A relação aberta é uma dificuldade de manter um vínculo, um compromisso, coisa muito comum hj, em tempos de banalização geral.

Por outro lado, pode ser a simples necessidade de estar livre, leve e solto na vida, sem ter que se "prender" em alguém. A pergunta que me faço é: quando a gente gosta mesmo de alguém a gente acha que estar com essa pessoa é uma "prisão"?? Que estamos presos em uma relação?? Ou seria o amor um sentimento de libertação e vontade de estar com o outro?

De qualquer maneira, acho que a relação aberta é confusa e complicada e o que vejo é: se vai ter uma relação com incostância geral, para que chamar de relação??? É mais simples ir "ficando" com a pessoa até quando quiser e acabou. sem compromissos ou rótulos!

ufaaaa! falei!!! hahaha

bjs e passa lá!

1:00 AM  
Anonymous zel escreveu...

oi, cheguei aqui pela fugu e adorei :) tenho opinião sobre esse assunto por já ter feito algumas tentativas de relacionamento aberto e ter descoberto qual é a minha quando fiz terapia.

em primeiro lugar, percebi que o mais importante é entender o que queremos, lá no fundo. há os que querem sexo, os que querem relacionamento, os que querem carinho, os que querem diversão. há os que querem uma mistura dessas coisas, e as misturas são todas únicas, pois as doses são diferentes. começando por aí já fica fácil entender que não há fórmula: casa pessoa deseja várias coisas ao mesmo tempo e com intensidades diferentes.

o problema mais sério a resolver quando se quer entrar num relacionamento de qualquer natureza é perceber o que se quer! nós não nos enxergamos, essa é a verdade. assumimos que queremos "a mesma coisa que todo mundo quer" ou até nos deixamos levar por modinhas ou ondas de modernidade. veja como você mesma "cede" a essa visão de que ser moderno é superar o ciúme :)

isso não é verdade! superar o ciúme ou se dar bem num relacionamento aberto não é prerrogariva de modernos e sim de um tipo de pessoa que fez algumas escolhas, ela pesou seus desejos e decidiu por esse caminho. esse caminho é tão bom quanto o da monogamia absoluta ou até da abstinência. nenhum é melhor que o outro, os caminhos são únicos. por isso é tão difícil achar o que chamamos "cara-metade": é muita coincidência duas pessoas desejarem, num relacionamento, exatamente a mesma coisa.

relacionamentos são complexos e não envolvem só sexo. há componentes emocionais e afetivos que modificam nossa percepção, inclusive sobre o sexo. de que adianta convencer-se que aquela trepada do cara que você ama com outra é "só sexo" se o que importa pra você não é só o fato dele ter metido o pau na buceta dela, mas ter trocado carícias, carinhos, AFETO, que você deixou de receber e gostaria?

enfim... que livro, hein? :D desculpa. é que o assunto é complexo e interessante. mas no fundo o que eu queria dizer é: sentir-se incapaz de ter um relacionamento aberto ou optar por não fazê-lo não é demérito algum. assim como não é demérito ser exclusivamente heterossexual (confesse: não temos sido pressionadas/os a ser mais "abertos"?). ninguém deve explicação sobre o que e como deseja.

e, olha, é difícil entender os próprios desejos. é difícil perceber que não sabemos o que realmente nos motiva e é mais difícil ainda conhecer e assumir sem medo o que se deseja. mas se não fosse difícil também não tinha graça :D

beijos!

1:09 AM  
Blogger Encontros e Desencontros escreveu...

Complicada esse história, eu acho ainda que os homens topam essa relação por que no fundo sabem que se a mulher estiver apaixonada por ele vai acabar sendo fiel.

Eu também gostaria de ser tão moderna quanto, mas não consegui até tentei e quem machucou-se fui eu.....

bjus

11:27 AM  
Anonymous guetoblaster escreveu...

que vc tenha a posso de seu corpo e nada mais ! que o outro tb sejaq dono do dele.

2:16 PM  
Anonymous  escreveu...

sou contra o relacionamento aberto ! completamente contra!

7:22 PM  
Blogger zeze escreveu...

Olá
Tudo bem?Lembra-se de mim? tenho o blog online de novo!Aparece

Beijoka

3:37 PM  
Blogger Larissa escreveu...

Oi, primeira vez que passo por aqui.
Sobre relação aberta, não acho legal. Já estive em um relação assim, mas admito que foi sem me dar conta.

Relação aberta só é bom para quem está bem resolvido. No fundo acabamos nos machucando e qdo nos damos conta, estamos mais neuróticas do que antes.

Bjos

3:34 PM  
Blogger Marco escreveu...

Para quem quizer informação séria sobre isto, busque na página eletrônica da Regina Navarro Lins (camanarede). Há, também, no Rio Grande do Sul um encontro-acampamento que reune o pessoal que pensa, debate e vive relações abertas. Próximo encontro será dias 6, 7 e 8 de abril de 2007, chamado "III Encontro Diversidade Sexual RS". Detalhes: marcopoa@gmail.com

3:42 PM  
Anonymous Aquarius Girl escreveu...

huuummmmm estou cansada de relacionamentos abertos, minha cota já acabou. Como vc mesmo disse..."a mulher tem uma facilidade maior de se envolver, pois somos mais sentimentalóides."
Droga queria ser tão bem resolvida quanto a Samantha e colocar mais isso em pratica "It's just sex".

10:58 PM  
Anonymous Chic0 escreveu...

Sartre e Simone talvez fossem o exemplo mais comum...
Mas, existem os swingers anônimos... Já viu "Pintar ou Fazer Amor" de Arnaud e Jean-Marie Larrieu, em ainda cartaz no Gemini?
;)

Acho que vivemos no limite entre querer "aquele" grande amor e a liberdade de amar quem e quanto a gente quiser... Mas, estmos dispostos a abdicar do primeiro e aceitar as exigências do segundo?
Em termos... (o que quer dizer, nem uma coisa nem outra...)

A gente quer tanta coisa, a gente sonha com tanta coisa...
Antigamente era casar, ter filhos e morrer... Era mais "fácil"...
Hoje temos escolhas... até demais... e talvez não consigamos escolher... queremos certezas que não temos... Escolhemos. Nem sempre acertadamente, mas escolhemos. Ou escolhem pela gente!

Para uma certas garotas eu não servia. Uma outra certamente.

Sex is never just sex...

12:17 AM  
Blogger Lorena escreveu...

Querida Desiree,
Saiba que eu também sou uma caretona! Você não está sozinha. Penso que nunca conseguiria levar adiante um relacionamento aberto. Ainda mais eu! Que me apaixono super fácil pela pessoa e que amo a vidinha á dois!
Beijos e um ótimo restinho de semana!

2:24 PM  
Blogger Ivo La Puma escreveu...

Olá! Primeira vez que venho aqui, achei este texto e os comentários muito interessantes!

E o meu comentário é que relacionamento aberto não existe em meu dicionário, não concebo este conceito, eu nunca entraria numa barca dessas. Eu me conheço: eu sou ciumento, eu sou possessivo. Mulher é minha é só minha. Logo, aceito a condição de ser homem de uma mulher só.

É isso.

4:24 PM  
Anonymous Le® escreveu...

Acho q qdo existe "amor", ou mtooo carinho, nao dá, mas qdo é só sexo e diversão, dá...
e só leva qm é msmm bemmm tranquila, se nao, nao adianta existir nd de modernisse q nao adiantaaaaaaaa.....

ADOREI O BLOG, JA ESTA NOS MEUS FAVORITOS! beijos

o meu é mais fútil:
www.flogao.com.br/leloira

11:12 PM  
Anonymous kleeole escreveu...

interesante tu sitio... debes actualizarlo mas seguido para pasar por más...
un abrazo

6:25 PM  
Blogger Solin escreveu...

Oi td bem?
Olha, sempre sou a favor da relatividade. Essa história de Relacionamento aberto, eu acredito que depende muit do casal.
Mas no geral, eu não gsto mto da idéia.
Mais cada um sabe da sua piola....
Até mais ;)

8:42 PM  
Blogger Ants escreveu...

Posso passar por arcaico, por possessivo, por careta, por inseguro, por mal-resolvido... com tudo isso sei lidar. Mas relacionamento aberto, comigo, NUNCA!

3:28 PM  
Blogger Jessika Curto escreveu...

Este comentário foi removido pelo autor.

3:54 PM  
Blogger antidote escreveu...

posso falar horas sobre o assunto, pois vivo numa relacao que nao só é aberta (ou foi) como é nao monogamica: somos tres pessoas num V, ha mais de dois anos. Temos problemas, mas que nao sao especificos á nao monogamia e que sao os problemas de todos os dias numa relacao.

Só queria dizer que é possivel, mas que exige disciplina em manter a transparencia e a honestidade. Nunca vai funcionar numa relacao que á partida está desiquilibrada ou em que alguem nao acredita no "abrir da relacao".

Perdoem-me a propaganda, mas escrevo num blog somente sobre nao-monogamia responsavel (laundrylst.blogspot.com) e agradeco todas as oportunidades de discutir este assunto, ou seja, opinioes fundadas quer pró quer a favor sao bem vindas porque me permitem aprofundar este tema que se tornou central na minha vida.

Obrigada por lerem,

12:29 PM  
Blogger Rody escreveu...

Cheguei aqui através do Coração Enenenado, do meu colega Serjones, e adorei! Vou passar sempre por aqui, permisso?

Relacionamentos abertos seriam os ideais, se não fossem o ciúme, a possessão, a aids... enfim, cada vez + difícil lidar com isso...

9:55 AM  
Anonymous Anônimo escreveu...

Bem, acho o relacionamento aberto interessante. Será que uma mulher ou um homem nao podem amar dois homens ou duas mulheres ou mais? claro que isso tem que ser conversado e que nao excluem responsabilidades.

9:15 PM  
Anonymous Anônimo escreveu...

Tenho uma relação aberta há quatro anos e durante todo esse tempo sempre achei que poderíamos viver as nossas liberdades, mas ao mesmo tempo respeitar e procurar ter relacionamentos evolutivos com as pessoas. Tudo sonho ou moralismo... Agora estou no fundo do poço porque descobri que a pessoa com a qual me relaciono começou a mentir pra mim e tentar fugir por finais de semana fora do meu ciúme.
Tudo que eu quero é ficar em paz e me relacionar com dignidade com alguém...
Estou muito triste e agora com a sensação de que o nosso amor desmoronou... O sonho acabou.

8:41 PM  

Postar um comentário

<< Home